A eficácia das informações presentes na Demonstração do Valor Adicionado

SUMÁRIO:

  1. Introdução;
  2. A importância da Demonstração do Valor Adicionado;
  3. Conclusão.

 

1-INTRODUÇÃO

A Demonstração do Valor Adicionado (DVA) é o informe contábil que evidencia, de forma sintética, os valores correspondentes à formação da riqueza gerada pela empresa em determinado período e sua respectiva distribuição. Por se tratar de um demonstrativo contábil, suas informações devem ser extraídas da escrituração, com base nas Normas Contábeis vigentes e tendo como base o Princípio Contábil da Competência.

A riqueza gerada pela empresa, medida no conceito de valor adicionado, é calculada a partir da diferença entre o valor de sua produção e o dos bens e serviços produzidos por terceiros utilizados no processo de produção da empresa. A Demonstração do Valor Adicionado é fundamental para as empresas, pois foi criada com a finalidade de tornar pública a responsabilidade social das organizações.

Segundo MARTINS et al. (2013), “A DVA tem por objetivo demonstrar o valor da riqueza econômica gerada pelas atividades da empresa como resultante de um esforço coletivo e suas distribuições entre os elementos que contribuíram para a sua criação”. Com isso, fica evidente que a Demonstração do Valor Adicionado tem por objetivo prestar informações a todos os agentes econômicos interessados na empresa, tais como empregados, clientes, fornecedores, financiadores e governo.

 

2-A IMPORTÂNCIA DA DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO

Paralelamente às mudanças do ambiente, em níveis macroeconômicos, as empresas estão diante da necessidade de estabelecer sistemas de informação e comunicação que lhes permitam adaptar-se a essas situações de mudanças de forma flexível e estável. Por conseguinte, GARCÍA (1984) comenta que há de se distinguir entre o que corresponde à própria gestão empresarial interna e o que afeta fundamentalmente as relações da empresa com o seu ambiente, sem, no entanto, esquecer a interdependência existente entre ambas as magnitudes.

Por isso, é necessário disponibilizar, aos distintos usuários, informações que eles possam transformar em algo eficaz para as suas tomadas de decisões objetivas, em cada um dos momentos e áreas em que delas necessitem. Portanto, a informação contábil deve estar cada vez mais orientada para satisfazer múltiplos e diferentes objetivos de informação e fornecer os dados necessários e corretos para cada situação concreta. Isso fará com que se caminhe na direção de um sistema contábil estruturado numa visão multidimensional.

Por outro lado, o conceito de valor adicionado é importante na atividade gerencial pois, de acordo com BENTLEY (1981), permite avaliar a performance e propiciar ferramentas para a tomada de decisão baseada em critérios eficazes de desempenho. Além disso, de acordo com COSENZA et al. (2002), o valor adicionado é importante por traduzir a intervenção da empresa no processo econômico sequencial  no âmbito de um determinado sistema econômico – e permitir a obtenção de informações sobre a geração e a distribuição de renda. Também é importante, no âmbito macroeconômico, como gerador de subsídios para medir a produção nacional, calcular e analisar a produção e a riqueza de uma economia, em qualquer magnitude.

 

3- CONCLUSÃO

A Demonstração do Valor Adicionado pode se converter em uma fonte de informação importante e complementar para o processo de análise econômico-financeira, já que o seu entendimento permite a compreensão dos benefícios gerados e seus efeitos na atividade, por aqueles que, de forma direta ou indireta, participam dele, principalmente os empregados, os credores financeiros e o governo.

Portanto, O objetivo da DVA é demonstrar aos usuários das Demonstrações Contábeis informações acerca da riqueza criada pelas empresas e de que forma elas foram distribuídas num determinado período. A lógica dessa demonstração está relacionada ao valor que as entidades agregam aos insumos adquiridos de terceiros num certo momento como, por exemplo: matérias-primas, energia, serviços, dentre outros. No entanto, para fazer parte da riqueza gerada, é considerado no cálculo somente aquilo que foi transformado ou consumido no período.

 

 

Referências:

ZANLUCA, Júlio César. Demonstração do Valor Adicionado (DVA). Disponível em <http://www.portaldecontabilidade.com.br/tematicas/demonstracaodovalor.htm>. Acesso em: 03 de Março de 2017.

MARTINS, Eliseu, et al. Manual de Contabilidade Societária: Aplicável a todas as Sociedades. 2. ed. São Paulo: Editora Atlas S.A, 2013. 888 p.

CONSENZA, José Paulo.  A Eficácia informativa da demonstração do valor adicionado. Disponível em < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-70772003000400001>. Acesso em: 04 de Março de 2017.

MARTÍNEZ GARCÍA, Francisco Javier. Análisis de estados contables: comentarios y ejercicios. Madrid: Pirámide, 1996.

BENTLEY, Trevor. Added value and contribution. Management Accounting, v.59, n.3, March 1981, p. 7-21

COSENZA, J.P.; GALLIZO, J.L.; JIMENEZ, F. A participação dos agentes econômicos no valor adicionado: estudo empírico na indústria siderúrgica brasileira no período 1996/2000, Contabilidade Vista & Revista, v. 13, n. 2, p. 37-65.

DE JESUS, José Carlos. Demonstração do Valor Adicionado (DVA) e a formação da riqueza social. Disponível em < http://www.sispro.com.br/noticias/demonstracao-do-valor-adicionado-dva-e-a-formacao-da-riqueza-social.html>. Acesso em: 04 de Março de 2017.

 

 

 

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.